Notícias


2020-07-27 | Emirados Árabes e China lançam missão espacial à Marte


Na passada segunda-feira (20/07), os Emirados Árabes Unidos lançaram a sua primeira missão interplanetária. A sonda não tripulada, Al-Amal, descolou do centro espacial de Tanegashima, no sul do Japão, após dois adiamentos devido ao mau tempo. A viagem deve levar sete meses e é parte do projecto do país para desenvolver expertises científica e tecnológica.

Al Amal, que significa esperança em português, descolou a bordo de um foguete H-IIA da empresa japonesa Mitsubishi Heavy Industries, às 6h58 (horário do Japão, 22h58 de domingo no horário de Angola). Cinco minutos após a partida, o foguete liberou os primeiros propulsores e seguiu a trajectória prevista com sucesso.

A sonda deve começar a orbitar o planeta Marte em Fevereiro de 2021. 

O objectivo é que a Al-Amal, também chamada no ocidente de Hope, orbite o planeta vermelho durante um ano marciano, o equivalente a 687 dias terrestres,  fornecendo uma imagem completa e inédita da dinâmica do tempo na atmosfera de Marte.

De acordo com o director da missão, Omran Sharaf, em Setembro do ano que vem, Al-Amal começará a transmitir dados atmosféricos de Marte, que serão disponibilizados à comunidade científica internacional. 

A Al-Amal tem o tamanho de um carro pequeno, pesa 1.350 quilos e carrega três instrumentos para estudar a atmosfera superior e monitorar as mudanças climáticas de Marte. Ela deve acompanhar a sonda Maven, da Nasa, que entrou  em órbita de Marte em 2014 para explorar a sua atmosfera e assim determinar como ela e a água do planeta foram perdidas ao longo do tempo.

Os Emirados Árabes não são os únicos que pretendem enviar uma sonda à Marte. A China lançou também com sucesso, na passada quinta-feira, 23, a sua primeira sonda independente para Marte, no âmbito da missão Tianwen-1 (Questões para o Céu, em chinês). A sonda deve chegar, igualmente, em Fevereiro de 2021 ao campo gravitacional marciano. A missão Tianwen-1 leva uma sonda composta por três elementos: um orbitador de observação, que girará em torno do Planeta Vermelho, um módulo de aterrissagem e um robô por controlo remoto, encarregado de analisar o solo marciano.