Notícias


2020-07-22 | Formação internacional: técnico do GGPEN faz estágio na Airbus


Técnico do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN), Aldair Gonçalves, está a fazer estágio curricular na Airbus, pioneira internacional na indústria aeroespacial e líder na concepção, fabricação e fornecimento de produtos, serviços e soluções aeroespaciais para clientes em escala global.

O estágio constitui uma condição para obtenção do grau de mestre, cuja parte lectiva do mestrado arrancou em meados de Setembro de 2019, em Toulouse, França, numa das universidades mais antigas e renomadas do mundo em matéria de ciência e tecnologia espacial, o ISAE-SUPAERO (Instituto Superior de Aeronáutica do Espaço).

O objectivo do estágio é desenhar o sistema eléctrico de um satélite de telecomunicações. Diariamente as tarefas são: auxiliar o arquitecto eléctrico na definição da alocação eléctrica entre os equipamentos, verificação do desempenho e dimensionamento do cabeamento como também a verificação da compatibilidade da interface eléctrica.

Aldair Gonçalves declara que a experiência está a ser boa, pelo que, sente-se privilegiado, pois se trata da empresa mais concorrida, o sonho para a maior parte dos estudantes do sector espacial na Europa.

“Mesmo com as complicações da covid-19, onde muitas companhias tiveram que cancelar os contratos de estágio e muitos funcionários sendo despedidos, mas fruto da cooperação com Angola estou a beneficiar do estágio acompanhado pelos construtores de satélites e cada dia que passa compreendo mais o quão complexo é o processo da construção de um satélite. Fruto do estágio poderei perceber melhor o sistema eléctrico de um satélite de telecomunicações, analisar o resultado de alguns testes feitos antes do lançamento do satélite, a compatibilidade eléctrica entre os diferentes equipamentos, a carga útil e como são tramitados os comandos dentro da carga util. Tendo em conta a especificidade dos conteúdos espaciais, o estágio está a ser baseado no satélite Angosat-2, aplicando os padrões e processos da Airbus. O estágio tem a duração de 6 meses (Junho/Novembro). Após a graduação almejo poder contribuir com o conhecimento adquirido no desenvolvimento do sector espacial em Angola”, declara ele.

O mestrado tem uma duração prevista de 14 a 18 meses e visa a transferência de conhecimento aos quadros angolanos objectivando os desafios que estão enquadrados na estratégia espacial nacional, que prevê a formação de quadros do GGPEN ao mais alto nível e, consequentemente, dar resposta ao seu plano estratégico 2019-2022.

Vale destacar que a formação não teve custos para o Governo angolano, sendo já fruto das compensações russas.

Esta formação é resultado da parceria entre o Estado angolano, por intermédio do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, com a empresa francesa Airbus e a Rússia, parceiras na construção do satélite ANGOSAT-2 e programas de observação da terra, no âmbito das compensações provenientes do ANGOSAT-1.