Jorge Pinto

Técnico da área de administração de sistemas de Rede Informática do GGPEN

O que é um simulador de satélite?


A construção, o lançamento e o controlo de satélites requer grandes investimentos, no próprio satélite, nas infra-estruturas de controlo e até mesmo na formação de operadores capazes de garantir o normal funcionamento do satélite ao longo do seu tempo de vida útil. 

A formação de operadores capazes de conduzir uma missão sem colocar em risco todo um investimento é crucial, pois uma falha da parte destes pode comprometer toda uma missão. Neste quesito, os operadores devem passar por formações em cenários que fornecem uma experiência muito próxima a real, através do uso de um simulador. 

Um simulador é uma máquina que reproduz o comportamento de um sistema com a ajuda de softwares especificos sob determinadas condições, o que permite que as pessoas que precisem de trabalhar com esse sistema possam ir praticando. Os simuladores costumam combinar partes mecânicas ou electrónicas e partes virtuais que ajudam a simular a realidade.

Os simuladores, por conseguinte, podem ser usados no âmbito profissional ou como um instrumento de entretenimento. Graças ao simulador, um indivíduo pode treinar até adquirir a experiência necessária para o exercício da actividade profissional (operação). Se cometerem erros num simulador, ninguém corre o risco de se magoar ou de pôr em causa grandes investimentos.

Exemplos: Antes de tirar a licença de piloto, os pilotos de avião têm de superar várias provas no simulador de voo, só então estarão habilitados a pilotar um aviaõ real.

Enquanto meio de diversão, os simuladores permitem conduzir carros de corrida, voar aviões num videojogo.

O simulador de satélite ou Simulador Operacional de Satélite é uma ferramenta indispensável para preparar as operações do satélite, treinar os operadores do satélite e apoiar as operações diárias durante o tempo de vida do satélite.

Um simulador de satélite é um sistema composto por hardware e software específico que representa o satélite físico. O objectivo é de fornecer uma simulação realista do satélite, do segmento terrestre e do ambiente espacial.

Estes simuladores utilizam-se para o teste do sistema de controlo da missão, para validação do segmento terrestre, para os procedimentos operacionais e para a formação do pessoal de operações. Depois dos teste de validação do segmento terrestre e da definição da operação, estes simuladores tornam-se especialmente importantes para os testes de telecomando (informação enviada para o satélite).

Um simulador de satélite típico é composto por:

  • Núcleo do simulador - fornece a programação e a interface de controlo;
  • Emulador - para hospedar o software de voo do satélite;
  • Modelos do satélite - para simular os vários subsistemas abordo do satélite (computador de bordo e gerenciamento de dados, comunicações, sistema térmico, sistema eléctrico e modelos da carga útil etc);
  • Modelos do segmento terrestre - incluem o sistema de telemetria e telecomando (TMTC) e também a interface com o Centro de Controlo de Missão;
  • Modelos de ambiente espacial;
  • Modelos dinâmicos (para uso com o Sistema de controlo de atitude e órbita ( do inglês Attitude and Orbit Control System-AOCS). 

Simuladores de satélite desempenham um importante papel no ciclo de vida de uma missão espacial.

É evidente a importância dos simuladores nas missões espaciais, suas aplicações em diferentes momentos do desenvolvimento de um satélite, uma vez que o simulador, via de regra, deve estar pronto antes do lançamento do satélite que ele simula.

Entre as aplicações principais dos simuladores destacam-se: testar e validar centros de controlo de missão, testar software de bordo do satélite e treinar operadores.

Referências:

  • SATELLITE SIMULATOR TO SATELLITE CONTROL SYSTEM INTERFACE CONTROL DOCUMENT Angosat-OPS-27 
  • SATELLITE SIMULATOR ALGORITHM DESCRIPTION DOCUMENT (ADD) Angosat-OPS-22 

Autor

Jorge Pinto

Licenciado em Ciências da Informática pela Universidade Pearson Institute of Higher Education - Midrand, África do Sul

 Técnico da área de Administração de sistemas de Rede Informática do GGPEN