Gilson dos Santos

Especialista Sénior do GGPEN, responsável pelo Departamento de Estudos e Mercados

Criação do Sistema de Apoio à Decisão Vida com o MIT-Mercados e Serviços


Resumo

O Desenvolvimento da tecnologia espacial, especificamente as usadas no domínio da observação da terra, tem ajudado na melhoria da vida na terra e incrementando na fonte de acesso a dados espaciais. A criação de soluções inteligentes utilizando dados de satélites têm permitido uma melhor adaptação e acompanhamento de situações que emergem, como a questão da covid-19 e outras de carácter ambiental, social, que coloquem em causa a vida humana.

Este artigo ilustra uma das soluções tidas como resposta à pandemia da covid-19, denominada Sistema de Apoio à Decisão “Vida”, desenvolvida pelo grupo de pesquisa Space Enabled do MIT (Massachusetts Institute of Technology) Media Lab, co-adjuvado por uma equipa de inovadores de Harvard. Em colaboração com o GGPEN (Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional) vai se conceber a mesma solução para o contexto angolano.  

MIT Media Lab 
                       

Fundada em 1985, a Media Lab do MIT é uma das líderes mundiais em pesquisa e organização académica; onde os engenheiros, artistas e cientistas esforçam-se para criar tecnologias e experiências que permitem as pessoas perceberem e transformarem suas vidas, da comunidade e do meio ambiente. 

Mais de 25 professores e pesquisadores séniores lideram o programa de pesquisa do Media Lab, trabalhando com mais de 175 membros da equipa de pesquisa, cientistas visitantes, pesquisadores de pós-doutorado e professores. O programa académico inscreve cerca de 150 candidatos a mestrado e doutorado. Além disso, a cada ano mais de 200 alunos de graduação do MIT se envolvem em projetos de pesquisa no Laboratório por meio do Programa de Oportunidades de Pesquisa de Graduação do MIT. 

As pesquisas e projetos desenvolvidos no Media Lab frequentemente crescem e evoluem fora do Lab: como empresas spinoff (um novo negócio criado a partir do projecto vindo do Lab), como exposições e performances, como transferência de tecnologia para empresas membros e talvez o mais importante, como base para pesquisas e exploração contínuas para outros dentro do Lab e em todo o mundo. 

Sistema de Apoio à Decisão “Vida” 

O Sistema de Apoio à Decisão “Vida”, visa ajudar líderes mundiais na tomada de decisões mais precisas pois os resultados dos dados computados permitem melhor entender diferentes aspectos sociais concedendo a criação de modelos nas seguintes áreas: Saúde Pública, Meio Ambiente, Impactos Socioeconómicos, Políticas Públicas e Tecnologia de Vigilância de Doenças.   

Este projecto consiste na criação de uma plataforma colaborativa entre o MIT e o GGPEN onde vários tipos de dados serão integrados, incluindo o uso de imagens de satélite. 

O modelo estrutural do MIT para desenvolvimento de aplicações permite escalar diversos submodelos não só para as áreas supracitadas, mas também modulam outros para agricultura, monitoramento de mobilidade, Qualidade do ar. 

O Brasil tem explorado a potencialidade deste sistema, especificamente na cidade do Rio de Janeiro, durante a pandemia da covid-19, o dashboard demonstra os dados de saúde pública concernente as zonas com maior risco de contágio e outros detalhes como número de óbitos, qualidade da água. 

Mercados e Serviços 

O mercado de soluções como o Sistema de Apoio à Decisão “Vida”, está em grande ruptura devido o surgimento de diversas startups criando soluções baseadas em imagens de satélites. Estima-se que as receitas do mercado global de serviços baseados em observação da terra,  rondam os  3.2 bilhões de dólares até 2025, segundo da dados da euroconsult. 

Estima-se que em África, até 2024 o mercado de serviços baseados em observação da terra, pode crescer e gerar lucros de até 65 milhões de dólares (Fonte: Euroconsult- Satellite-Based Earth Observation: Market Prospects to 2025), sendo que os serviços de gestão de recursos naturais, engenharia e infraestruturas, serviços baseados em localização são dos maiores promotores deste crescimento. 

Os serviços concebidos em suma servem para melhoria da vida humana, criando condições de nos auto sustentarmos de modo a se atingir metas como erradicação da pobreza, fome zero e outras, que fazem parte dos objectivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. Serviços como o monitoramento da agricultura que fornecem indicadores sobre a melhor época para semear, a quantidade de fertilizantes a usar, saúde da plantação ao longo da época de cultivo e a melhor fase para colheita, permitem um crescimento nas colheitas de 5% a 20%. (fonte:AISTECH-access to inteligente space technologies)

Os indicadores garantem ainda a redução dos encargos para os governos, com os apoios nos programas de aquisição de fertilizantes, resultando num melhor ecossistema com empresas de seguro e com os bancos relativamente a empréstimos para a actividade agrícola. 

A qualidade da água e do ar cada vez mais deve ser monitorizada e são muitas as iniciativas como exemplo o programa air now que consiste na instalação de sensor de ar nas Embaixadas ou Consulados dos Estados Unidos da América. O uso desta tecnologia nos aproxima a medições de qualidade que permitem a criação de políticas que ajudem a melhoria do ar que todos respiramos; portanto pretende-se que a evolução do Sistema de Apoio à Decisão “Vida” no contexto Angolano traga esta componente. 

A diferenciação no mercado está intrinsicamente relacionada com o valor agregado que cada solução oferece, pois, diversas ferramentas são disponibilizadas para atender muitas das vezes o mesmo nicho. O uso de técnicas da inteligência artificial está na base da agregação do valor em cada serviço criado. 

Organizações como a UNESCO trabalham em iniciativas de auscultação em éticas do uso de inteligência artificial onde alguns pilares assentam sobre a inclusão do ensino de inteligência em todo o território Africano com especial atenção da inclusão de mulheres e crianças de modos que se consiga acompanhar o resto do mundo.  

A nível de serviços observa-se que o monitoramento do meio ambiente, segurança alimentar e mudança climática são prioridades em agendas políticas ao redor do mundo e o monitoramento de fronteiras acaba sendo a maior tendência do mercado. 

Acesso a Imagens de Satélites

Segundo alguns dados disponibilizados pelo programa copernicus da União Europia apenas cerca de 5% das imagens de satélite captadas são processadas, sendo que as imagens não processadas são arquivadas em banco de dados e apenas alguns provedores as disponibilizam de forma grátis.

O programa copernicus promove a massificação do uso de imagens de satélites, acreditando que o maior número de imagens processadas pode vir criar um ambiente de criação de mais startups melhorando o ambiente económico, promovendo a geração de empregos e a construção de modelos que viriam a gerar mais indicadores para tomadas de decisões por orgãos municipais, regionais concernentes a vida humana.

Autor

Gilson dos Santos

Mestre em Serviços e Aplicações Espaciais

Especialista Sénior do GGPEN, responsável pelo Departamento de Estudos e Mercados

 

Referências

 

[1] https://www.media.mit.edu/about/overview/

[2]  http://www.euroconsult-ec.com/15_September_2016

[3] NewSpace Africa Industry Report, 2019 Edition.pdf

[4] Status of Earth Observation (EO) & Geo-Information Sciences in Africa- Trends and Challenges. Tsehaie Woldei

[5] Satellite Earth Observations in Support of the Sustainable Development Goals. Special Edition 2018

[6] https://www.esa.int/ESA_Multimedia/Images/2020/06/Air_quality_changes